Durante os saudosos anos 90, a indústria dos jogos eletrônicos se dividia entre Hadouken, Shoryuken, o visual pixelado foto realista de Pit Fighter, Double Dragon, os simuladores de corrida da SEGA nos fliperamas, o nascimento da era 16-Bits e a invasão dos jogos de “navinha” esquisitos vindos da terra do sol nascente. Tirando um barato da estética e a atmosfera de todos os clássicos da época à exemplo de Gradius, o cult da Konami – Jikkyo Oshaberi Parodius escancarava pinguins piratas, porcos voadores e ninfetas seminuas no lugar de aeronaves gigantes. Destaque para o alto nível de dificuldade que exigia atenção redobrada e perspicácia dos jogadores mais “hard-cores”.

Os anos passaram e abriram a porta para os consoles de nova geração e a predominante criatividade dos estúdios independentes que diante da enxurrada de títulos “AAA” com propostas genéricas, criaram jogos muitos originais que relembram os “cults” dos anos 90.

FREEDOM FINGER é nonsense, insano e obrigatório!

Ao comando de uma nave no formato de uma mão gigante que literalmente, mostra o dedo do meio para a seriedade dos jogos do gênero, nas fases com progressão automática e visão lateral, os jogadores atiram e ainda distribuem porradas nas estruturas para abrir os caminhos em mais de 40 fases malucas, esquisitas e desafiadoras.

Com a pegada de ataque, os jogadores podem capturar os inimigos e usa parte da arma usada por eles para aumentar o seu poder de fogo.

Sem cerimônias, o jogo apresenta uma história satírica que explora tópicos importantes, como comunismo, o nazismo, política externa dos EUA e outros acontecimentos históricos.

Sendo um dos indies mais vem avaliados dos últimos tempos, FREEDOM FINGER abusa de um visual cartunesco de desenho animado feita a mão e é badalado por uma trilha sonora de respeito feita por um time de peso na indústria musical que inclui o rapper americano Aesop Rock e faixas licenciadas por Red Fang, METZ, Power Trip, Com Truise, White Fence, Ty Segall, The Radio Dept., Makeup and Vanity Set, True Widow e outros.

O jogo está em promoção no eShop do Nintendo Switch, custando apenas $1.99 dólares! (ao invés de $14.99)

Portanto, pare de esfregar lâmpada e adquira já. Recarregue os créditos do eShop com um dos cartões da BIG BOY GAMES!

*eShop $10 Nintendo Switch 

*eShop $20 Nintendo Switch 

*eShop $35 Nintendo Switch 

*eShop $50 Nintendo Switch 

O trailer abaixo demonstra os elogios que o jogo recebeu dos críticos da mídia especializada:

Por Cayo Eduardo. (Equipe BIG BOY GAMES)

Fonte: YouTube/NintendoeShop