Por Cayo Eduardo. (Equipe BIG BOY GAMES)

Yoshis NEW Island: Eis o nascimento de dois irmãos muito especiais no reino dos cogumelos em uma noite estrelada. A dona cegonha carrega Baby Mario & Baby Luigi em seu leito a caminho da casa de seus novos pais. Após descobrir que aquele lar não era a casa correta, um estranho vulto rasgou o céu…

Ao comando de Baby Browser – o vilão do jogo, Baby Luigi é sequestrado por Magikoopa Kamek, seu comparsa e seus servos Toadies. Durante o incidente, Baby Mario cai sobre a Egg Island – ilha habitada por Yoshi de todas as espécies, cuja atmosfera é pacífica até a página dois… Baby Browser ameaça transformá-la em um centro de férias para a estadia da turma do Mal.

Mesmo amedrontados pela audácia do vilão, os dinossauros decidem ajudar Baby Mario a chegar ao seu castelo.

*Boxart americana de Yoshi’s NEW Island. (3DS)

Depois de quase duas décadas, o dinossauro mais amado dos videogames está de volta em Yoshis NEW Island – a continuação espiritual do clássico Yoshi´s Island: Super Mario World 2. (Super Nintendo) para Nintendo 3DS.

Lançamento: 14 de Março de 2014

Desenvolvimento: Arzest/ Nintendo

Publicadora: Nintendo

Yoshis NEW Island: A evolução da espécie.

Existe um sentimento bem particular na simplicidade dos clássicos que marcaram época na jogatina dos gamers que cresceram entre a era 8-16 Bits, especialmente durante os anos dourados do eterno SNES (console de mesa da Nintendo). Não importava que a ação linear se limitasse a movimentar o personagem da esquerda pra direita, nem tampouco os custos de produção, senão a diversão proporcionada pela criatividade de seus criadores. O tempo passou, os jogos evoluíram; mas o saudosismo permaneceu. Até que os estúdios determinem ressuscitar um clássico em forma de sequências para revisitar essas antigas emoções.

Coproduzido por um novo estúdio sob a encomenda da Nintendo chamado Arzest, a estrutura das fases das aventuras do dinossauro de épocas diferentes (1995 – 2014) é idêntica, já que a equipe de desenvolvimento supervisionada por Takashi Tekuza. (Diretor de Yoshi´s Island: SMW2, Nintendo Land, NEW Super Mario Bros. U), incluí os profissionais veteranos que cuidaram do jogo original com carinho.

*A imagem de Yoshi´s Island. (SNES) acima é acompanhada pela imagem de Yoshi´s NEW Island. (Nintendo 3DS) abaixo.

No entanto, ao invés dos sprites e pixels que reformularam o visual bidimensional dos jogos em side scrolling entre os anos 80-90, os gráficos semi renderizados de Yoshis NEW Island são tratados por um filtro de Blur para suavizar as arestas dos objetos e as paisagens de fundos em tons pastéis. Agora cada fase inclui dez moedas vermelhas e cinco flores flutuantes.

No restante, quase tudo é similar:- o retorno do cãozinho Poochy que segue as andanças de Yoshi, o pedregulho que durante uma das fases, esmaga os inimigos pelo caminho; as esperas maciças que do fundo da tela esfarelam as plataformas do primeiro plano até o dengoso Baby Mario choramingando envolto de uma bolha flutuante quando o dinossauro é atingido por um dos Toadies que perambulam pelas fases lineares de Egg Island. Lembre-se: você tem apenas 10 segundos para pegá-lo de volta. Este temporizador pode se estender para o limite de 30 segundos na contagem regressiva, se o jogador conseguir coletar todas as pequenas estrelas durante a fase.

De cara, o sistema customizável de controles se adequa a todos os gostos e favorece os canhotos de plantão com duas configurações para pulos, para ativar a mira ou lançar os ovos.

Inclusive, existem três modos para mirar e lançar os ovos sobre os inimigos:- Hasty. (o modo clássico herdado do jogo original, no qual o jogador pressiona o R – botão lateral do portátil para travar a mira e em seguida, solta o mesmo botão para lançar o ovo sobre o inimigo), Patient. (no qual dois toques sobre o botão R são necessários para executar a sequência de mira e ataque) e o mais inusitado de todos Gyrosensor. (no qual é preciso utilizar o giroscópio do portátil para realizar as ações).

Comandos básicos vêm configurados desta forma:-

Direcional analógico ou digital – Movimentação

Y – Yoshi engole tudo pela frente

B – Pulo

B pressionado – As pernadas de Yoshi faz com que ele flutue no ar durante alguns segundos.

R – Habilita a mira para cuspir os inimigos engolidos.

R – Trava a mira e lança o ovo sobre o inimigo após soltar o botão. (no modo clássico Hasty)

Direcional para baixo. (no ar) – Yoshi dá a famosa bundada sobre a superfície do cenário.

Os chefes enfeitiçados por Magikoopa que fecham a exploração de Yoshi em cada ilha poderiam ter sido mais criativos, especialmente no repetitivo sistema para derrotá-los.

YOSHIMORPHOSE.

Abaixo da casca do ovo vieram às famosas transformações velhas e novas de Yoshi para agregar valor a jogabilidade.

Dentre elas, o dinossauro se transforma em um helicóptero para sobrevoar as paisagens da ilha, em submarino ou um tipo de britadeira que transformam os blocos de cimento em ruínas. Boa parte das transformações é manipulada pelo sensor de movimentos do portátil e seu timer de uso pode ser estendido ao pegar os relógios.

Para manter a boa forma e mais guloso do que nunca, Yoshi engole tudo pela frente incluindo os Toadies em tamanho-família, que em seguida, se transformam em dois tipos de ovos gigantescos.

Ao arremessá-los, boa parte dos obstáculos são despedaçados. Mas é necessário que antes, o jogador analise o ambiente com os obstáculos por onde o ovo gigante passará. Para isso, uma lupa poderá ser acessada na tela inferior do 3DS e servirá como binóculo para descobrir as passagens secretas e calcular a trajetória do ovo arremessado.

O adorável Yoshi´s Van Gogh do esboço a arte final.

Digamos que as duas obras supervisionadas pelo mesmo autor representem dois belos livros de contos infantis em movimento. Os materiais que dão o tom aos cenários rechonchudos nas páginas desta nova aventura pintados a mão, ultrapassam as pinceladas e rabiscos de tinta Aquarela, giz de cera e lápis de cor para compor um quadro de arte. Alguns dos antigos cenários da ilha, aqui foram refinados por crayons, giz pastel seco, técnicas de Sumiê. (tradicional pintura japonesa monocromática) e outros estilos de pintura em contraste com os objetos e inimigos que se deslocam para fora da tela sob o efeito 3D do portátil.

Os sortudos que nasceram entre a era 8 e 16 Bits, sabem o quão nostálgico era soprar o cartucho quando um jogo sofria “TILT, o famoso bug nos jogos de hoje” da mesma forma que os apelidados game maníacos da época tagarelavam ou assoviavam as músicas sintetizadas dos jogos em mono pós jogatina. As composições singelas do novo Yoshis NEW Island só ganharam instrumentos requintados em estéreo, mas a mania de quem o jogar será exatamente o mesmo, a exemplo da música tema e a trilha de fundo da primeira fase.

Yoshi´Mundi Network.

A Nintendo quer que você compartilhe as andanças de Yoshi via MiiVerse. Será que elas servirão de termômetro para a elaboração final do apelidado Yoshi´s Yarn para Wii U? Provavelmente.

Para não dizer que o jogo não suporta dois jogadores, a Big N incluiu um modo repleto de mini-games para disputar o maior número de moedas coletadas e outros desafios entre você e seus amigos.

Jogar a velha fórmula do bom jogo 2D com um novo olhar.

Yoshis NEW Island é o casamento entre o novo e o antigo que se esforça em agradar os convidados, senão o fruto desta cerimônia regada por costumes tradicionais. Se cortar o cordão umbilical sem recordar com nostalgia das raízes de fantasia que a clássica aventura germinou em 1995, talvez você não se curve aos encantos desta obra com a mesma pureza e inocência.

Gráficos e direção de arte: 9

Efeito 3D: 8

Som e Efeitos sonoros: 8

Controles e Interatividade: 9

Diversão: 8

Desafio: 7

Longevidade: 7

Média: 8