Mergulhe nos elementos inéditos que só a PlatinumGames é capaz de criar para potencializar o ritmo frenético do gênero Hack’n Slash, turbinado com gráficos em Cel-Shadded para recriar a cyberpunk metrópole nipônica megalomaníaca, e estará diante de ASTRAL CHAIN – Um dos melhores exclusivos de ação para o Nintendo Switch.

Por Cayo Eduardo. (Equipe BIG BOY GAMES)

Entre dois planos dimensionais, criaturas estranhas chamadas de Chimeras invadiram o nosso plano terreno. Então, alguns humanos foram convocados a formar uma resistência para conseguir abalar as estruturas dos inimigos. No entanto, não é possível que qualquer humano munido de qualquer arma seja páreo para as diversas criaturas que invadiram o nosso mundo.

É aí que entra uma organização secreta protagonizada por dois irmãos gêmeos que iniciam cedo as suas carreiras profissionais como agentes da polícia local.

Através de uma tecnologia de ponta chamada Legatus, alguns policiais podem controlar as criaturas que invadem o nosso mundo, convertendo-os para o bem. Chamados de Legions, cada uma dessas criaturas especiais possui um formato, um poder e muitas habilidades.

Além de controlar um dos personagens principais, o inédito sistema de jogabilidade de ASTRAL CHAIN permite que os jogadores controlem essas criaturas. Assim, através de uma mecânica bem instigante, visceral e divertida, podemos assumir o controle de ambos simultaneamente e consecutivamente, usar os poderes magnéticos dos Legions para atacar as criaturas alienígenas arqui-inimigas.

ARK >. É A METRÓPOLE MULTICULTURAL FUTURISTA assolada por uma catástrofe depois de um súbito aparecimento de portais para uma outra dimensão. A polícia local é incapaz de combates os alienígenas que emergiram das furnas urbanas. E é aqui que uma força especial chamada Neuron entra em ação!

A força energética Neuron faz com que os jogadores invoquem os Legions por magnetismo, a partir do momento que um feixe de luz surge na tela durante os combates frenéticos de Astral Chain. Optando entre três armas letais a disposição, o ataque básico que alternam entre golpes rápidos, lentos ou fortes é desferido com o botão ZR dos Joy-Cons ou Pro-Controller.

O combo enlouquecedor entre os golpes dos dois personagens (policial e a criatura Legion) simultâneos é um show à parte e resulta em coreografias que os jogadores não encontrarão em nenhum jogo do gênero! Portanto, coordenar os movimentos acrobáticos com o Legion é imprescindível para ser vitorioso. Como são inéditas, as mecânicas exigem aprendizagem e coordenação motora.

Cada inimigo exige uma estratégia de ataque diferente. Conforma avançamos na história, novos Legions são encontramos, aumentando o nosso leque de ataques especiais. Cada um deles também possui uma habilidade que pode ser usada no cenário enquanto estamos explorando.

LEGION >. É A ARMA ESPECIAL SINERGÉTICA desenvolvida pela humanidade que funciona como aliada da corporação policial para combater os alienígenas e investigar ações psicofísicas. Mas é durante as batalhas que ela se faz necessária. Ataques devastadores, exploração atmosférica e invocações cibernéticas trabalham em sinergia durante os combates frenéticos de tirar o folego!

Os poderes dos Legions são cruciais nas averiguações: as criaturas podem ser utilizadas para encontrar rastros de Chimeras e para ouvir conversas distantes das pessoas que perambulam pelas ruas da metrópole cyberpunk; o Beast Legion por exemplo, é capaz de procurar pessoas ao farejar objetos, fugitivos que são imobilizados por meio da corrente astral e outras grandes surpresas.

O JEITO PLATINUM-MODE DE CRIAR UM HACK’N SLASH NON-STOP!

Na indústria dos videogames, cada estúdio tem um ingrediente próprio para desenvolver um jogo (blockbuster ou indie) que o diferencia dos demais. Quais são os elementos que caracterizam Bayonetta, Vanquish, Mad World, The Wonderful 101 e outros jogos da PlatinumGames? RITMO!

*Arte Conceitual de celebração aos 10 anos da PlatinumGames.

O ritmo dinâmico e frenético non-stop que determina o sistema de gameplay direcionado especialmente para os jogadores hard-core em estado de frenesi, sem cerimônias, nos remete aos clássicos dos anos 90. Tudo muito bem arquitetado e mapeado por personagens imageticamente carismáticos. É a marca registrada do estúdio japonês.

ASTRAL CHAIN. (Nintendo Switch) traz à tona um novo jeito de debulhar um hack’n slash que transita entre a arquitetura futurista da metrópole cyberpunk e o plano astral ambientado em um mundo sombrio, desconstruído e avermelhado (quando os protagonistas são engolidos pelo portal). Talvez a breve análise seja insuficiente para descrever as particularidades que a nova, exclusiva e gratificante I.P. da Nintendo com a PlatinumGames possui.

Mas certamente, ASTRAL CHAIN não é um jogo de ação que induz o jogador hard-core a atacar de qualquer jeito; muito pelo contrário, precisamos ficar atentos para escapar dos golpes inimigos na hora certa para contra-atacar com sabedoria e esmero. ASTRAL CHAIN é um novo jeito de se jogar um Hack’n Slash! Portanto, mergulhe sem titubear.

Gráficos: 9

Direção de Arte: 9

Som/ Efeitos Sonoros: 9

Controles: 10

Sistema de Gameplay: 10

Originalidade: 10

Desafio: 8,5

Diversão: 9

Média: 9,7